De Prima


O clássico das confirmações

Palmeiras e Corinthians empataram por 2 x 2 em partida válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009. Para o Timão foi apenas mais uma partida. Agora restam apenas cinco para acabar 2009 e pensar apenas no ano do centenário.

Para o Palmeiras, o jogo era muito mais importante, já que valia a manutenção da liderança alviverde, que agora é sustentada apenas pelo quesito saldo de gols. No entanto, a partida serviu para nós confirmarmos alguns fatos.

Ronaldo confirmou a fama de carrasco palmeirense, marcando os dois gols corintianos na partida. Antes disso, o Fenômeno já havia marcado um gol de cabeça no mesmo goleiro Bruno, que é uma de suas maiores vítimas. Marcos confirmou que, além de ser grande goleiro é honesto, admitindo o pênalti em Jorge Henrique.

O árbitro da partida, que é da Federação Paranaense e do quadro da FIFA, o senhor Héber Roberto Lopes, confirmou que não tem capacidade de estar à frente de um clássico da dimensão de Corinthians e Palmeiras.

O juiz interferiu diretamente no resultado da partida ao não expulsar o zagueiro Danilo, do Palmeiras, que deu uma entrada criminosa em Jorge Henrique. O defensor recebeu apenas cartão amarelo. Mais tarde o mesmo Danilo empatou a partida ao marcar o primeiro gol do Palmeiras.

O primeiro gol do Palmeiras confirmou que o goleiro corintiano é péssimo para executar saídas de gol. Já é a quinta vez que o arqueiro corintiano falha da mesma forma apenas nesse Brasileirão. Além dp goleiro, ficou provada a fragilidade do setor defensivo do Corinthians, que levou dois gols nas únicas jogadas do Palmeiras na partida.

O jogo serviu para confirmar que não compensa fazer partidas desse porte no interior de São Paulo. Além do desgaste da viagem e do calor infernal do interior paulista no horário de verão, o público sempre fica abaixo das expectativas. Apenas 18 mil estiveram no estádio Eduardo José Farah. Menos da metade dos 39500 que foram ao Morumbi ver a vitória do São Paulo sobre o Barueri, por 1 x 0.

A partida também serviu para confirmar que se o Palmeiras não abrir o olho, poderá ficar, no máximo, com uma vaga na Libertadores. Dos últimos 18 pontos disputados, o time de Muricy Ramalho conquistou apenas cinco.



 Escrito por Ronie Anderson às 00h19 [] [envie esta mensagem] []






Jogo histórico

É difícil acreditar que o time que enfrentou e venceu o quase imbatível Cruzeiro, em pleno Mineirão, por 2 x 3 esteja na zona de rebaixamento há tantas rodadas.

É difícil acreditar que o Fluminense vencerá todas as partidas que restam no Brasileirão 2009 e permanecerá na elite do futebol brasileiro na próxima temporada.

É difícil acreditar que um clube com tanta tradição como o Fluminense possa ser rebaixado pela 4ª vez em sua história nos últimos 15 anos.

É difícil acreditar que um elenco tão limitado como o do Fluminense, em que apenas Fred e Conca podem fazer a diferença, possa ser capaz de livrar o clube da atual situação.

Exceto pela final da Libertadores, em 2008, a vida do Tricolor das Laranjeiras tem sido de muita dificuldade. Mesmo assim, a torcida do Flu tem acreditado no time, passando força através das arquibancadas.

Força essa que é captada pelos jogadores e transformada em confiança. Um elemento fundamental para que o time carioca mudasse de postura e conquistasse a vitória de maneira histórica hoje no Mineirão.

Sem dúvida alguma, uma das melhores e mais emocionantes partidas do Brasileirão 2009. Um jogo para ficar na memória de todas as pessoas para sempre, exceto dos cruzeirenses.

Um resultado que dará muita moral a Cuca e seus comandados para a próxima partida, justamente contra o líder do campeonato. Alguém ainda duvida que o Fluminense possa vencer o Palmeiras?

 



 Escrito por Ronie Anderson às 23h54 [] [envie esta mensagem] []






Hora de pagar a dívida

Ano: 2004 - Campeonato Paulista - Situação: Corinthians é derrotado pela Portuguesa Santista na última rodada e depende de uma derrota do Juventus para não ir para a série B.

O time da Móoca jogaria contra o São Paulo. Antes da partida, muito se falou que a equipe do Morumbi entregaria o jogo, para que o Corinthians fosse rebaixado.

O São Paulo já estava classificado para às semifinais, ao lado de Palmeiras, São Caetano e Paulista, de Jundiaí. No dia do confronto, a torcida são-paulina gritava: "Entrega... entrega... entrega".

Uma situação jamais vista. A torcida do São Paulo torcendo contra o próprio time para ver seu arquirival na série B. No entanto, quando a bola rolou, prevaleceu o profissionalismo dos jogadores.

O centroavante Grafite marcou dois gols e o São Paulo venceu a partida por 2 x 1. Enfim, os corintianos respiraram aliviados por evitar o vexame do rebaixamento, que viria três anos mais tarde, no Campeonato Brasileiro.

Hoje, o Corinthians enfrenta o Palmeiras em Presidente Prudente e pode definir o destino do Brasileirão 2009. A equipe de Mano Menezes já está classificada para a Libertadores da América 2010 e, em teoria, não precisaria se esforçar para vencer o jogo e, consequentemente, ajudar o São Paulo a se manter na ponta do Brasileirão.

Entretanto, há outras coisas em jogo, como o tabu do Palmeiras, que não perde para o Corinthians desde 2006. O presidente Andrés Sánchez já disse que dará uma premiação extra aos atletas corintianos em caso de vitória.

Os corintianos também querem vingar a derrota humilhante sofrida no 1º turno, por 3 x 0, com três gols de Obina. Além disso, foi o jogo em que Ronaldo sofreu uma fratura na mão e ficou afastado dos gramados por mais de um mês.

Motivação não falta ao Corinthians. Infelizmente, o clube do Parque São Jorge acabará ajudando São Paulo ou Palmeiras. Basta decidir o que é mais importante para o próprio Corinthians.

O Timão não tem mais chances de conquistar o Brasileirão, mas vencer o Paulistão, a Copa do Brasil e tirar o Brasileirão do rival Palmeiras seria uma espécie de tríplice coroa para os corintianos.

 



 Escrito por Ronie Anderson às 13h47 [] [envie esta mensagem] []






Paulo Henrique em dia de Palermo

Paulo Henrique Lima, do Santos, o Ganso, nunca esquecerá o jogo de ontem, contra o Flamengo, no Maracanã. O meia não teve uma atuação brilhante, assim como quase todos os comandados de Vanderlei Luxemburgo. Porém, de certa forma, o jogador pode ser considerado o principal responsável pela derrota santista.

Mesmo jogando contra o Flamengo em um Maracanã com mais de 77 mil pessoas, a equipe da Vila Belmiro teve a chance de sair vitoriosa do confronto. Quando o Flamengo vencia por 1 x 0, com um gol marcado por Adriano, o 16º do Imperador, o Santos teve a oportunidade de empatar após a marcação de um pênalti, ainda no primeiro tempo.

Paulo Henrique bateu a penalidade e o goleiro Bruno defendeu, pulando no canto esquerdo. Na segunda etapa, o Peixe teve outro pênalti a seu favor. O meia santista mostrou personalidade e se candidatou novamente para fazer a cobrança.

No entanto, em vez de bater em um dos cantos, Paulo Henrique chutou no meio do gol. Bruno, novamente caiu para o lado esquerdo, mas defendeu o pênalti com os pés, para delírio dos flamenguistas e desespero do Santos.

Depois disso, o time de Vanderlei Luxemburgo não teve forças para reagir e acabou derrotado. Com o resultado, o Santos estacionou na 13ª colocação, com 42 pontos, já que o Atlético-PR foi derrotado pelo Avaí e continuou com 40.

O sonho da Libertadores, que já era quase impossível, acabou de vez. A vaga para a Copa Sulamericana não é suficiente para motivar os santistas nas últimas cinco rodadas, mas é bom que o time da Vila tome cuidado.

A pontuação mínima para evitar o rebaixamento ainda não foi alcançada. O risco é pequeno, mas ainda existe.

 

 



 Escrito por Ronie Anderson às 13h15 [] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 


 
 




UOL - O melhor conteúdo
BOL - E-mail grátis
Fórmula 1 com opinião e humor
Spoilerproof: Modus Operandi
 
 

Dê uma nota para meu blog